7 modelos mentais que você deve saber para ter decisões mais inteligentes

Cada um de nós faz dezenas, se não centenas de pequenas e grandes decisões diariamente. Algumas não vão impactar nossas vidas profundamente, enquanto outras podem mudar o resultado de toda nossa vida.

Se está tentando descobrir qual trabalho você deve aceitar, se irá sair do seu trabalho para iniciar um negócio ou se mudar para uma nova cidade – estas decisões nunca são fáceis. No entanto, podemos aprender com pessoas que tomam decisões de alto impacto diariamente, e que desenvolveram modelos mentais para ajudá-los a tomar decisões mais inteligentes.

Veja 7 desses modelos mentais para você aproveitar:

 

1. Regra 10/10/10
De curto prazo contra longo prazo

Depois de atingir o topo no mercado editorial, um dos modelos mentais que Suzy Welch adota para ajudá-la a navegar por decisões pessoais e profissionais difíceis é chamado de Regra dos 10/10/10. A maioria de nós nos sentimos culpados por tomar decisões sem pensar nas consequências a longo prazo, e a Regra dos 10/10/10 pode ser usada para refletir a longo prazo ao se perguntar:

  • Como vou me sentir sobre essa decisão daqui a 10 minutos?
  • E daqui a 10 meses?
  • E daqui a 10 anos?

É fácil tomar decisões de curto prazo que podem ser benéficas daqui a 10 minutos ou 10 meses, mas esses tipos de decisões normalmente não nos beneficiam no longo prazo. O que é mais difícil é tomar decisões que podem não aparecer atraente ou impactante no curto prazo, mas ao longo do tempo pode ter um impacto positivo em sua vida.

Sempre que você está lutando para ir a academia, resistindo às tentações de comer junk food, ou superando as dificuldades de aprender uma nova habilidade, use a Regra dos 10/10/10 de pensar não só sobre a forma como você se sente sobre isso mais tarde hoje, mas também anos depois.

 

2. Fãs verdadeiros

Relacionamentos

“Um fã verdadeiro é definido como alguém que vai comprar qualquer coisa e tudo que você produz. Eles vão dirigir 200 km para ver você cantar. Eles vão comprar o super deluxe do seu material, apesar de terem a versão de baixa resolução. Eles têm um Alerta do Google para o seu nome. Eles são os fãs verdadeiros . ”
-Kevin Kelly, fundador da revista Wired

Kevin Kelly é mundialmente famoso por ser um futurista, tecnólogo, e o editor executivo da revista Wired.
A acessibilidade e distribuição de informação hoje permite qualquer artista, criativo ou empreendedor a criar um impacto real na sua vida e carreira, formando muitos seguidores (seja 100, 1.000 ou 10.000).

O ponto aqui é que, em vez de tentar agradar a massa, muitos de nós se sairão melhor ao conquistar honestamente o amor (ou verdadeira admiração) de alguns poucos. Embora este modelo mental possa ser dirigido a artistas ou empresários, ele pode ser aplicado a praticamente qualquer coisa que envolve relacionamentos.

Aplicando o modelo de Fãs Verdadeiros aos seus relacionamentos pessoais e profissionais atuais irá ajudá-lo a repensar e otimizar como você está alimentando esses relacionamentos de forma eficaz. Cativar a pessoa certa muitas vezes é muito mais benéfico do que ter cem que apenas ouviu falar de você.

 

3. Lei de Pareto

Ser eficaz, não apenas eficiente

“Concentre-se em ser produtivo, em vez de ocupado.”
-Tim Ferriss, New York Times best-seller, autor de The Four Hour Workweek

Em tudo o que fazemos, há sempre 20% das atividades que vai entregar 80% dos nossos resultados desejados.
A origem da Lei de Pareto veio de um economista italiano, Vilfredo Pareto, que notou que 80% da riqueza do mundo eram controladas por apenas 20% das pessoas. Hoje, este conceito tem sido aplicado aos negócios, saúde, despesas, etc.

Por exemplo:

  • 80% dos nossos gastos vêm de 20% de fontes (ou seja, aluguel, hipoteca, transporte)
  • 80% dos nossos lucros vêm de 20% dos clientes
  • 80% da nossa felicidade vêm de 20% das pessoas em nossas vidas

É fácil cair na armadilha de estar sempre “ocupado”, sem nunca conseguir ter nada pronto ou com resultados. A lei de Pareto é um modelo mental útil para ser mais eficaz, em vez de apenas eficiente ou ocupado.

 

4. Estrutura de Minimização do Arrependimento
Pensando a longo prazo

Quando Jeff Bezos, CEO da Amazon.com, estava enfrentando o dilema de deixar seu emprego estável para começar a Amazon, ele aplicou o que agora chama de “Estutura de Minimização do Arrependimento”.
Aqui está a explicação do modelo mental:

“Se você pode se projetar para seus 80 anos e pensar, ‘O que pensarei disso nessa época?’ Você fica longe de algumas das peças pregadas no dia a dia. Esse é o tipo de coisa que, no curto prazo pode deixá-lo em dúvida, mas se você pensar a longo prazo, então você pode realmente tomar decisões de vida boas que não vai se arrepender mais tarde. ”
-jeff Bezos, CEO da Amazon

Enquanto a Regra 10 / 10/10 de Suzy centra-se mais no dia-a-dia de curto prazo contra decisões de longo prazo, a Estrutura de Minimização de Arrependimento de Bezo é aplicável para qualquer um fazer grandes saltos em sua vida pessoal e profissional.

Pode ser deixar um emprego para começar uma empresa como Bezo fez, tomar a decisão de ir viver em outro país, ou até mesmo se comprometer com outra pessoa.

 

5.  Matriz Eisenhower

Alocação de tempo

“O que é importante raramente é urgente; e o que é urgente raramente é importante.”
Dwight Eisenhower

Dwight Eisenhower viveu uma das vidas mais produtivas que você pode imaginar. Servindo como o 34o presidente dos Estados Unidos, lançou programas que conduziu diretamente para o desenvolvimento do sistema da estrada nacional nos Estados Unidos, o lançamento da internet (DARPA), a exploração do espaço (NASA), e o uso pacífico de fontes de energia alternativas (Lei de Energia Atómica).

Não é nenhuma surpresa que seus métodos de gestão do tempo, tomada de decisão, e aumento da produtividade tem sido estudado por muitas pessoas.

O modo como funciona é simples. Sempre que ele for confrontado com uma decisão, atividade ou tarefa, categorize elas em uma das quatro categorias:

  • Urgentes e importantes (tarefas que você vai fazer imediatamente).
  • Importantes, mas não urgentes (tarefas que você vai agendar para fazer mais tarde).
  • Urgente, mas não é importante (tarefas que você vai delegar a outra pessoa).
  • Nem urgentes nem importantes (tarefas que você irá eliminar).

modelos mentais

De acordo com Stephen Covey, autor do best-seller 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, nós deveríamos gastar a maioria do nosso tempo em # 2: importante, mas não urgente.

As atividades mais importantes que realmente movem a agulha raramente envolvem a extinção de incêndios. Pelo contrário, são atividades ou decisões que envolvem o planejamento estratégico para o futuro – pessoal ou profissional.

É apenas uma questão de criar tempo para isso na nossa agenda, e da maneira mais eficaz de ter tempo para isso é delegar (# 3) ou eliminar (# 4) as tarefas não essenciais.
6. Lei de Parkinson

Economia de tempo

“O trabalho se expande de modo a preencher o tempo disponível para a sua realização.”

A força de vontade é finita. Alguns de nós podem ter mais do que outros, mas será sempre um platô ao longo do tempo. Esta é a lei de Parkinson.

Se nós temos três horas para completar uma tarefa que normalmente levaria uma hora, nós vamos encontrar uma maneira de preencher essas três horas. No entanto, quando estamos nos últimos trinta minutos, de repente sentimos a pressão para fazer as coisas.

Este é um modelo mental que só você deve aplicar a si mesmo. É improvável que o seu chefe ou organização irá pedir-lhe para trabalhar menos horas, o que significa que você precisa para colocar limitações de tempo induzidas quando você está trabalhando.

Em vez de dar a si mesmo uma semana para concluir um projeto, divida ele em atividades menores, e defina vários prazos durante a semana para acabar com eles.

Usando a restrição de tempo como sua aliada, você irá realmente criar mais liberdade para si mesmo, e não menos.

 

7. Círculo de Competência
Foco nos pontos fortes

“Eu não sou nenhum gênio. Eu sou inteligente em alguns pontos, mas eu trabalho em torno desses pontos. ”
– Tom Watson Sr., fundador da IBM

Ao longo de nossas vidas, nos foi dito para corrigir nossas fraquezas em vez de se concentrar em nossos pontos fortes.

Mas quando você estuda os atletas mais bem sucedidos, líderes empresariais e formadores de opinião, há um mantra consistente que é pregado – mantenha-se no seu círculo de competência.

“Você tem que descobrir quais são suas próprias aptidões. Se você jogar jogos em que outras pessoas têm as aptidões e você não, você vai perder. Você tem que descobrir onde você tem uma vantagem. E você tem de jogar dentro de seu próprio círculo de competência.” -Warren Buffett

Podemos trabalhar para expandir nosso círculo de competência ao longo do tempo, mas tornar-se auto-consciente o suficiente para saber onde você está hoje, e nunca tenha medo de dizer “eu não sei.”

Quais são os seus modelos mentais?
Quanto mais modelos mentais tivermos referência, maior a probabilidade de nós tomarmos decisões mais inteligentes quando é preciso. Nós adoraríamos que você compartilhasse conosco os modelos mentais que você usou para tomar suas melhores decisões.

Traduzido do The Next Web

Posts Relacionados

3 thoughts on “7 modelos mentais que você deve saber para ter decisões mais inteligentes

  1. Izabelle says:

    Ola!
    Eu adorei os modelos, com certeza irei usar o 10/10/10, o de como vou pensar nisso com 80 anos e o da fã. Na verdade vou tentar usar todos da melhor forma possível!

  2. Pingback: 9 dicas de como manter a mente organizada e produtiva

  3. Liana Friedrich says:

    Fantastic! Amei e me fez repensar as atitudes que tenho tido no dia-a-dia, principalmente no que diz respeito ao aproveitamento correto do tempo. Parabéns pelo Post e Muito obrigada pelo aprendizado nele adquirido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *