As quatro gerações de administração do tempo

A administração do tempo se desenvolveu de acordo com um padrão similar a muitas outras áreas do conhecimento humano. Saltos importantes em termos de desenvolvimento, ou “ondas”, na terminologia de Alvin Toffler, sucedem-se periodicamente, acrescentando uma nova dimensão vital. Por exemplo, no desenvolvimento social, a revolução agrícola foi seguida pela revolução industrial, que foi seguida pela revolução informática. Cada onda que chega cria um momento de progresso social e pessoal.

Similarmente, na área da administração do tempo, cada geração se apóia na geração anterior – cada uma delas se move em direção a um controle maior da vida. A primeira onda ou geração se caracterizou por bilhetes e listas, em um esforço para conferir uma certa aparência de organização e pertinência às muitas demandas feitas sobre nosso tempo e energia.

A segunda geração pode ser caracterizada pelos calendários e agendas. Esta onda reflete uma tentativa de olhar à frente, de marcar eventos e atividades no futuro. A terceira geração reflete o campo de administração do tempo atual. Ela adiciona às gerações precedentes a importante ideia de prioridade, de esclarecimento de valores, e de comparação do peso relativo das atividades, com base em sua relação com estes valores. Além disso, ela se concentra em estabelecer metas – alvos específicos de curto, médio e longo prazo, em cuja direção o tempo e a energia serão direcionados em harmonia com os valores. Ela também inclui o conceito do planejamento diário, da elaboração de um plano específico para a conquista destas metas e atividades consideradas mais valiosas.

Avaliação 4.75 de 5
R$129,00
Avaliação 5.00 de 5
R$129,00
Avaliação 5.00 de 5
R$129,00
Avaliação 1.00 de 5
R$40,00

Apesar de a terceira onda ter dado uma contribuição significativa, as pessoas começaram a perceber que a elaboração de agendas “eficazes” e o controle do tempo com freqüência são improdutivos. A concentração na eficácia gera expectativas que conflitam com as oportunidades de desenvolver relacionamentos mais ricos, de satisfazer as necessidades humanas, e de desfrutar momentos espontâneos diariamente. Como resultado, muita gente decepcionou-se com os programas e sistemas de administração do tempo que faziam com que se sentissem amarradas demais, tolhidas, “jogando o bebê fora, junto com a água do banho”. Elas retornaram às técnicas de primeira e segunda geração, para preservar os relacionamentos, a espontaneidade e a qualidade de vida.

Mas há uma quarta geração emergente, de um tipo diferente. Ela reconhece que a “administração do tempo”, é um nome infeliz, na verdade – o desafio não é administrar o tempo, mas administrar a pessoa. A satisfação resulta da expectativa, bem como da realização. Em vez de focalizar a atenção nas coisas e no tempo, as atenções da quarta geração se voltam para a preservação e melhoria dos relacionamentos e na obtenção de resultados com propósito.

Wish Planner Anual modelo 2018

Em vez de usar o mapa da estrada, você está se guiando por uma bússola.

 

A quarta geração da administração pessoal é mais avançada do que a terceira em cinco aspectos importantes:

Primeiro – é centrada em princípios. Cria o paradigma central que lhe permite ver o tempo dentro do contexto do que é realmente importante e eficaz.

Segundo – é orientado pela consciência. Dá a oportunidade de organizar sua vida com o máximo de habilidade, em harmonia com os valores mais profundos. Mas também lhe proporciona a liberdade para subordinar pacificamente seu planejamento aos valores mais elevados.

Terceiro – define o caráter único de sua missão, inclusive valores e metas de longo prazo. Isso dá sentido e propósito ao modo como você planeja cada dia.

Quarto – ajuda a equilibrar sua vida, identificando os papéis, estabelecendo metas e planejando atividades em cada um dos papéis-chave a cada semana.

Quinto – o coloca em um contexto mais amplo, através do planejamento semanal (com adaptação diária, conforme a necessidade), levando-o longe do que a perspectiva limitada de um único dia, colocando-o em contato com os valores mais profundos por meio da revisão de seus papéis importantes.

 

O fio central que liga estes cinco aspectos do progresso é o foco principal nos relacionamentos e resultados, e o foco secundário no tempo.

 

Fonte: Os 7 Hábitos das pessoas altamente eficazes

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *